quarta-feira, setembro 08, 2010

Chorando se foi quem um dia só me fez chor...sorr...?


MENINAS, ME EXPLIQUEM UMA COISA...
Sofrimento ou felicidade: que máscara incorpora-se hoje?

Sabe um erro que a maoria esmagadora comete? É condicionar o seu conceito de felicidade a alguém. E depois que essa relação acaba, seu conceito fica totalmente deturpado e você o reconstrói sempre de uma forma diferente, o que acaba fazendo com que você crie uma "cápsula protetora" em volta de si para cultivar um sentimento de autopreservação/proteção, porque já que sofreu tanto com sua última "felicidade", acaba ficando com um pé atrás para os meninos (a grosso modo) e demonstrando-se fria e seca por um tempo para saber se ele realmente tá ali por causa DE você ou DO você, e isso as afeta bastante, não é? Por não ser você, ou ao menos não como gostaria totalmente...


Eu pensei que poderia vir a ser medo de sofrer, mas vejam por este lado:

Talvez, se agíssemos mais pela racionalidade do que pelo emocional o relacionamento seria muito mais saudável e, quem sabe, duradouro.
Mas, bem sabe-se que em em um relacionamento (não estou falando só de namoro, amizade também é um), sempre vai haver sofrimento e alguém sempre vai sair "lesado" no final, a não ser que você molde completamente a outra pessoa, fazendo dela seu fantoche e de sua relação com ela um teatro. E outra, você NÃO pode deixar de relacionar-se com alguém pelo fato de saber que mais cedo ou mais tarde alguma ferida vai ser aberta ou reaberta, porque isso vai acontecer, sim! Não vale a pena se martirizar tanto...
Um grande problema que existe
principalmente com as meninas, galera, é que muitas querem ser a Bella de um Edward em uma vida de Crepúsculo. Assumir a posição de impenetrável ante um relacionamento é algo que não vai durar muito, e não por a questão de que "um dia a máscara cai", é porque VOCÊ não aguentará mais sustentá-la... Mostrar-se indiferente a qualquer atitude não te faz autoprotetor, mas sim covarde, medroso.
Tornar-se uma pessoa melhor não é evitar o amor, é aprender a "manuseá-lo". (E deixando BEM claro: O amor não pode ser considerado um jogo. Em hipótese alguma. Nada que envolva amor, amar, deixar, tentar. São corações envolvidos, não é como uma partida de cartas que você aposta algo material... coração não é como um jogo que se perde e dá pra recomeçar! E mais uma vez, restará uma cicatriz, por menor que seja.)
Mas, uma parte considerável de vocês falam como se homem não amasse de verdade, como se nós fossemos perfeitos monstros sem coração, que viemos à Terra com o objetivo de fazê-las sofrer a vida inteira.
Já ouvi muita gente dizer "
Ah, não sei.. tantas coisas eu deixei de fazer por causa dele, ou passei vergonha por causa dele pra nada. Sinceramente, não levou a nada, não acrescentou nada" e mais um milhão de nadas, representando o vazio de todo um ex-relacionamento...
ele não acrescentou nada AGORA, que vocês já acabaram e você sente uma "raivinha" dele, mas na época acrescentou e muito, você se completa de alguma forma. Não leve para o lado pessoa, seja realista! Você sabe bem que não foram em vão seus "sacrifícios". Hoje sim, ontem não. Mas hoje o único sentimento que você sente por ele é o único que você não conseguia sentir naquela época.
Tem gente que se diz
traumatizada por ter amado tanto e ter sofrido após, vai ver que é por isso que andam permitindo o casamento entre homossexuais por aí...

Andros Romontey.

6 comentários:

James do Bonde disse...

Cara, achei esse tema muito bom e polêmico. Vamo lá, vamo comentar, galhera! Quero ver uma discussão sobre isso :)

Acho que talvez maturidade seja a questão. A maturidade com que você enxerga o seu relacionamento vai dar um certo caminho pra ele. Mas é aquela coisa: maturidade só se ganha quebrando a cara, na minha opinião, passando por experiências que vão modelar o teu ponto de vista. E geralmente no primeiro relac. as pessoas - principalmente as meninas - vão quebrar a cara, porque poxa, não é pra sempre. Talvez devesse ser pra sempre, mas essa é uma fase - a adolescência - que a gente muda muuito a cabeça, né, que a gente tá se modelando, modelando nossa pessoa, e assim nossos ideais mudam, nossa maneira de ver as coisas vai mudando com o tempo.

Aí o namoro acaba, os dois ficam magoados, e a menina pensa que nunca mais vai amar alguém, que "a vida é uma droga, e depois você morre. Eu devia ter essa sorte" (valeu jacob!). MERMÃÃO, acorda! Isso tudo aqui é uma FASE, um momento da tua vida que vai te nortear, te mostrar o que tu quer da tua vida. (e eu aqui me sentindo O MADURO pra falar dessas coisas, né -risos) Bom, é isso.

Fora isso tudo, ninguém é perfeito, as pessoas sempre vão nos decepcionar em algum momento. Eu já decepcionei alguém, tu já decepcinou, todo mundo já o fez e ainda vai fazê-lo muitas vezes. Acho que temos que só aceitar essas diferenças e momentos de fraqueza que as pessoas mostram nos relacionamentos, porque nós também as temos, e queremos que o outro também aceite as nossas fraquezas.

Dudaa Andrade disse...

Só acho que temos que viver intensamente cada momento, e aproveita-lo hoje como se fosse o ultimo dia, e sem se esquecer do amanhã- com responsabilidade( lógico -.-).
Acho que para as meninas, é mais complicado... elas idealizam de mais, achando que encontrou o cara perfeito, com isso acabam achando que é pra sempre, mas com o tempo acaba percebendo que nao mesmo assim... e acaba que o relacionamento acabando e nao restando nem amizade, que é trágico! (:
maas como disse ai, acumulamos experiencias somente ariscando!
e as vezes arriscando pode dar certo =D

Laurinha disse...

Hmmm... Acho que Sempre é uma palavra muito forte quando se fala que alguém vai se machucar não importa qual tipo de relacionamento. Eu respeito que é a opinião do autor do texto, mas não quer dizer que concordo. Tenho pra mim que as pessoas com quem nos relacionamos sempre podem nos ajudar a amadurecer. Quando um relacionamento é quebrado, é lógico que as pessoas envolvidas vão se sentir mal de alguma forma, mas é só por algum tempo, isso passa, o que fica é a experiência para que nos relacionamentos futuros não sejam cometidos os mesmos erros.
Há uma diferença entre paixão e amor. Paixão é esse sentimento que deixa a gente besta, sem medir as consequencias, "deixando de fazer coisas por conta de outras pessoas". O amor é um sentimento bom, o amor nunca faz sofrer, então acho que a gente nao deve ser tao desiludido ao ponto de achar que um relacionamento só vai dar certo se a outra pessoa for um fantoche, moldado pelos nossos caprichos.
Por outro lado, fiquei impressionada com o conhecimento dos sentimentos femininos. Concordo que o problema de muitas é sonhar com um principe encantado e acabar cobrando muito dos outros. Pronto, é isso.

Câmiii :) disse...

Bom, acho que eu também não concordo muito com a opinião do autor, mas é pq essas coisas são de cada pessoa, e todo mundo tem um jeito diferente de sentir. Eu não acho que a gente PENSA que um relacionamento (mesmo sendo o primeiro) é para sempre e por isso é iludido(a), acho que a gente QUER que seja para sempre, pq queremos ter os sentimentos bons por muito mais tempo, é que muitas vezes não sabemos diferenciar o 'PENSAMENTO' da nossa 'VONTADE' ('que seja eterno enquanto dure'). Acho que todos tendemos também ao extremismo, tanto quando nos referimos ao SEMPRE, mas também ao amor. Pq parece que toda vez que sentimos algo diferente por alguém, ao melhor ESPECIAL, significa que é amor, minha opinião é que amor se constrói no dia-a-dia, o amor doa, abdica de algo em prol da felicidade da pessoa amada, pelo simples fato do sorriso daquela pessoa ser mais importante do que qualquer coisa e proporcionar felicidade a quem ama também. Amor é o que nossos pais sentem por nós, eles abrem mão de tanta coisa, amor é o que o Senhor tem por todos, quando nos ajuda nos momentos difíceis e muitas vezes nem agradecemos, só achamos que as coisas podiam estar melhores, amor é o que sentimos por nossos irmãos, pq mesmo quando a gente quer dizer não acaba cedendo (detesto essa parte! :P), é o que nós sentimos pelos verdadeiros amigos, que mesmo com as 'distancias' estamos lá pra apoiar nos momentos difíceis, e é o que sentimos por alguém especial depois de muuuuito tempo apaixonados! Quanto a 'raivinha' que sentimos quando o relacionamento não dá certo, eu acho que é pq muitas vezes não sabemos separar as coisas, normalmente um casal acha que só pq tá junto, deixou de ter identidade própria, muda características pessoais só por causa de outra pessoa, quando na verdade precisa mudar pq SABE que é o melhor para ela e n para agradar alguém. Precisamos aprender a viver em função de algo e não PARA algo, pq se alguém vive PARA um relacionamento, se um dia ele acabar ela não vai mais saber o que o deve seer. Sinceramente também acho que um pouco de autopreservaçao,pelo menos no começo, não mata ninguém, sofrer é muuuuito ruim! :P
:*

Gostei do poost! ^^

Bruno Carvalho disse...

É... realmente você exprimiu nesse post muitas verdades de muitas pessoas...gostei muito,(Até me ajudou um pouco...)só não concordei(entendi) o final sobre os casamentos homossexuais...
Como se um casamento homossexual fosse algo de alguém que teve um "trauma" num relacionamento no passado, e por isso decidiu se casar com alguém do mesmo sexo... ¬¬
VOLTANDO A APONTAR QUE, não entendi se é isso mesmo que o autor quis dizer, mas se não foi, deveria ter especificado melhor.
Concordo com a maior parte, só não esse final, que pra mim, estragou...
(e confesso que só por causa dele que comentei)

Andros Romontey disse...

Não, Brunão, o comentário sobre o casamento homossexual foi o seguinte:
Citei isto pelo fato de que felicidade é felicidade em qualquer lugar do mundo, independente de sua sexualidade.