segunda-feira, novembro 01, 2010

Leia-me

Er... eu sempre tive vontade de escrever. Aproveitei que hoje eu tava num daqueles momentos de contorcionismo estomacal (não, não era diarréia) e resolvi, finalmente, lançar a mão no teclado. Vou postar aqui o que escrevi, e eu peço encarecidamente por comentários, porque são eles o combustível desse blog.

Leia-me

Amo-te.

Amo-te pela única razão de te amar. Não porque te idolatro, porque te considero superior, um ser de outro mundo que magicamente surgiu em minha vida. Não te amo porque és linda em qualquer momento, ou mesmo por tuas qualidades, que também não são poucas. Não te amo por serdes supostamente diferente das demais, ou mesmo por serdes incrivelmente mais especial que as demais. Não te amo por essa tua força, bravura e coragem, por esse teu magnetismo poderoso que me puxa fortemente para perto de ti. Não te amo por razões que possam ser expressas nessas palavras ocas e frias pelas quais tento inutilmente compreender a razão de te amar.

Paixão? Paixão é um estupor de sentimentos; paixão é uma dúvida infinda e uma certeza incerta. Paixão é a incompreensão marcada pelo egoísmo de querer; paixão é o querer sem preceder a alguém. Não, não sou apaixonado por ti. Nem vivo por ti. Nem vivo para te amar. Nada disso. Vivo para enfrentar o mar bravio, e contigo ao meu lado, tenho força para enfrentar a pior das tempestades. Por isso, não!, não te quero nem te desejo estúpida ou inconseqüentemente. Que te quero, é verdade; porém meu querer vem após os teus quereres, meu desejo só é completo em ti ao ver-te saciada, ao ver-te completa.

Mas eu te amo; e te amo pela única razão... de te amar. Amo-te a cada vez que vejo tua boca se esticar infinitamente nesse sorriso magnífico. Amo-te ao ver teus olhos, ah!, como eu poderia esquecer-me desses teus olhos?, brilhantes e profundos, em que tento mergulhar numa inútil tentativa de compreensão. Inútil porquanto afogo-me na imensidão da tua alma, e assim acabo mais confuso que entendido de ti. Amo-te nos teus momentos de súbita raiva e incompreensão, quando, num estupor, desligo-me do mundo e aprecio a destruição que ocorre à tua volta... Amo-te por te fazeres ora meu Sol, ora minha Lua, minha escalada e meu vale, minha inequiparável, sublime alegria e minha tristeza mais delicada e pontiaguda. Eu já te amo pela única razão de amar alguém: o amor. Não por sempre te ver comigo, desejando me ajudar, ou por de uma forma ou de outra melhorardes meu dia de maneira graciosa e até surreal. A questão é que não há mais meios ou caminhos de chegar em ti, de pensar em ti - estás toda em mim. Não há mais razão que precisa ser dada ou imposta para pedir licença para te amar. Simplesmente te amo pelo amor em si, quer tu queiras... ou não.

...

Mulher, talvez estas palavras confusas, talvez estas linhas tortas, talvez estes parágrafos nada signifiquem para você. Talvez sejam tudo, ou mesmo nada. Todavia minha intenção ao registrá-las não é convencer-te ou tocar-te o coração, ou quem sabe sondar-te a alma. Sinceramente, a razão pela qual as escrevo nem mesmo é sabida de mim.

Unicamente, porém, só sei isto: que eu te amo. Eu amo você pela única razão de te amar.
-tt



Thiago G.

21 comentários:

T.B. disse...

Caramba, muito legal o texto! Você escreve bem mesmo, fato! *-*

mãe do escritor disse...

QUERO SABER QUEM É ESSA NEGA!
AH, SE EU PEGO...

CIÚMES? HUM...PROBLEMA MEU!
Tá bom, até que tem poesia nisso aí! Vc leva jeito.

diogo disse...

Cara, Muito bom. Quem tem sorte é a moça a quem este texto é endereçado !

Continua assim Thiago, Tu leva jeito ao meu ver.

Ericc Trimegisto disse...

e isso tudo foi escrito em meio a um contorcionismo estomacal hein!!
ta massa d+ velho!!

Câmii disse...

Uau! Isso foi incrível...

Estou sem comentários pq a única coisa que vem na minha mente é: - Sorte de quem tiver seu coração e eu espero que ela cuide bem dele! :)

Beijo, Bety! :*

mariana disse...

gatinho, o teu texto tá muito lindo, só quero saber quem é que vao passar por uma entrevista comigo! hehe é sério ficou muito legal!

bruno disse...

poxaaaa Thiago, arrasou, como jah disseram sortuda é a mulher que casar com vc. FELICIDADES E ATÉ AMANHA!

Perplex disse...

ficou massa :D

sofistication disse...

sortuda, mil vezes sortuda a endereçada!

Marcelo disse...

mandou muito bem, boas palavras, texto magnifico, parebéns

Marcelo H. disse...

Tas virando poeta agora é? Shakespeare tá perdendo. Gostei do comentário de Andréa! HUAHSUAHS

Júh disse...

Nossa ficou lindo...

thiago a. disse...

Escreveu muito bem, com a alma.

Valeu pelo texto Gomes, e boa sorte com teus sentimentos :)

isadora disse...

você é sensacional

Larissa disse...

Uau, deu de dez a zero no ruivinho de Crepúsculo.
Arrasou, chato. Muito lindo. :)

Beijos,
Chata-Larissa

musadoverao2010 disse...

Que coisa mais linda de se escrever para uma pessoa. Minha amiga pediu pra eu comentar por ela, porque nao pôde ficar comigo, por algum motivo... Ah! é porque entrou uma coisa no olho dela, aí ela foi resolver. Com certeza a pessoa que inspirou esse texto tem sorte por ter conquistado o coração de quem escreveu.
A gente não sabe a receita do amor e as vezes fica meio perdido, mas quando dá certo, mesmo a gente nao sabendo como, é bem... inexplicavel
alguem te ama, Titi.

Paulina Downing disse...

tá lindo, thi! tu tem jeito mesmo kkkk vai ser escritor da vida ein?

Leonardo S disse...

Que profundo! Vocês escrevem profunda e magnificamente bem. Não sei se foi só comigo, mas esse texto faz o leitor se identificar com o personagem. Afinal, quem não ama ou nunca amou ninguém "pela única razão de amar"?
Sucesso!

João Victor Alves disse...

Ta beem po! aosieasoie. Ta de boa (: As pessoas deveriam sentir "amor" e não "paixão". Se assim fosse, o quadro da humanidade não seria esse...

Clea disse...

isso que é profundo :)
muito lindo *-*

bufaloamigo disse...

acho que alguém aí anda lendo muito Drummond, hehe
massa lek tud d bom, abraço do coroçao msm